Blog

[:pb]Aqui você fica sabendo de dicas e notícias importantes para sua viagem.[:es]Aquí encontras noticias y consejos sobre Florianópolis importantes para tu viaje.[:en]Here you will find important tips and news about Florianópolis.[:]

[:pb]3 especialistas e muitas dicas para visitar o Brasil[:en]3 Experts, and Many Tips for Visiting Brazil[:es]3 expertos y muchos consejos para visitar Brasil[:]

By: | Tags: , , , , | Comentários: 0 | março 8th, 2017

[:pb]Para complementar minhas sete regras para baixar o custo de uma viagem ao Brasil, pedi a três colegas no Brasil que apresentassem suas próprias dicas. São Ricardo Freire, amplamente considerado como o decano dos blogueiros de viagens brasileiros; Fábio Peixoto, editor de um guia de viagem brasileiro; E Kevin Raub, autor do Lonely Planet que mora em São Paulo.

Eu condensei e editei suas dicas, e nos dois primeiros casos, as traduzi do português.
O Sr. Freire está em português em viajenaviagem.com e está trabalhando em um site de língua inglesa para visitantes estrangeiros no Brasil. Siga suas viagens no Instagram (@riqfreire). Aqui estão suas dicas:

VIAGEM QUANDO O BRASIL NÃO FAZ

As viagens internacionais para o Brasil são relativamente mínimas; O país como um todo recebe cerca de tantos visitantes por ano quanto Cancún. Isso significa que a indústria do turismo é dependente do enorme mercado interno, que tem uma particular peculiaridade: os brasileiros parecem viajar todos ao mesmo tempo. Isso é durante as férias escolares de janeiro e junho, Carnaval (9 a 12 de fevereiro do ano que vem), e em feriados nacionais que se tornam fins de semana longos, não importa em que dia eles caem.

Para o resto do ano, a maioria dos destinos brasileiros (com a notável exceção do Rio) estão quase vazios – embora em muitos casos o clima seja realmente melhor durante a baixa temporada. Então planeje sabiamente.

ESPERE A DATA MÁGICA

10 de janeiro é a data mágica que o verão brasileiro deixa de ser tão caro. Famílias têm esvaziado suas contas bancárias para estar na praia durante o Ano Novo e deve começar a economizar para o Carnaval. Os preços caem sensivelmente, e proprietários e donos de pequenos hotéis estão abertos a negociações.

O melhor lugar para se estar é no estado da Bahia, em lindas aldeias litorâneas como Morro de São Paulo, Barra Grande, Itacaré, Santo André e outras que não são tão caras como pontos de luxo como Trancoso. Você pode combinar essa viagem com uma grande excursão para Chapada Diamantina National Park (sete horas de ônibus de Salvador, a capital do estado).

Cair no rio

Hemisfério Sul caem, isto é. No inverno (julho e agosto), o Rio de Janeiro pode realmente ficar frio, então o momento ideal para visitar é no outono, depois da Páscoa. Maio, com dias quentes e secos e noites frias, é o momento perfeito, com apenas um feriado brasileiro (1 de maio) atraindo visitantes. É também o momento perfeito para uma viagem lateral à cidade colonial de Paraty, onde as coisas ficam chuvosas na primavera e no verão.

PEGAR O ÔNIBUS

Os brasileiros de classe média alta não dirão isso, porque não podem se imaginar em um ônibus interurbano. Mas o fato é que o sistema de ônibus brasileiro funciona bem, especialmente se você estiver viajando menos de 200 milhas. Infelizmente, há pouca informação sobre viagens de ônibus on-line (e praticamente nenhuma em inglês) para a sua melhor aposta é ir para a estação de ônibus onde cada bilhete de bilhete de cada empresa tem sinais claros lista destinos que serve. Uma palavra-chave em português é “direto” (gee-REH-tew), que se refere a uma rota com menos paradas. Mantenha seus objetos de valor próximos (e gadgets em seus bolsos) nas estações.

USE A CONEXÃO DE PANAMÁ

A companhia aérea mais conveniente dos Estados Unidos para o Brasil é provavelmente a Copa do Panamá, que tem um acordo de código compartilhado com a United, o que significa que um cliente pode comprar um bilhete com uma companhia aérea, mas acaba voando em um avião operado pelo outro. Você pode chegar a sete destinos brasileiros através de uma conexão normalmente breve na Cidade do Panamá, permitindo-lhe, por exemplo, chegar a Manaus na Amazônia e retornar de Recife, no nordeste.

SITES INTERNACIONAIS ESTÃO A GANHAR

A Booking.com expandiu-se rapidamente no Brasil, registrando pousadas e pequenos hotéis em lugares remotos, salvando os estrangeiros do complicado sistema de reservas que os brasileiros inventaram (envolvendo depósitos de fiação nas contas bancárias dos estalajadeiros). Hostelworld funciona bem para albergues, e Airbnb também está fazendo incursões para aluguel de apartamentos.

-benzóico.
Fábio Peixoto é o editor do Guia Guia Quatro Rodas que publica o guia Viajar Bem e Barato. Aqui estão suas dicas:

IR CONTRA O FLUXO

Com a forte economia brasileira, surgiu uma nova classe média com acesso a muitos confortos modernos, incluindo viagens. Isso significa que na temporada, os destinos estão mais cheios do que nunca. Os preços dos hotéis podem triplicar durante o Ano Novo e Carnaval, e não ajuda muito para reservar com antecedência. Fins de semana e feriados durante o verão (dezembro a março) são geralmente infernal em termos de preços, disponibilidade e tráfego. Uma boa estratégia, se você está aqui, então, é ir contra o fluxo: passar os fins de semana nas grandes cidades e nos dias de semana na praia. No nordeste, as chuvas podem ser pesadas de abril a julho, então setembro e outubro são grandes momentos para visitar.

SNACK TRADICIONALMENTE

Uma boa dica para comer por menos é se concentrar em quitutes tradicionais ou pequenos pratos tradicionais. Em Salvador, há dezenas de barracas de rua onde as baianas vendem acarajé – um bolinho de ervilha de olhos pretos recheado com camarão, um molho chamado vatapá e verduras – por cerca de 6 reais (US $ 3 a 2 reais por dólar ).

Nas cidades amazônicas você pode obter tacacá, uma sopa de camarão e jambu, uma erva ligeiramente anestésica, por 10 reais. Em São Paulo, pastéis de feira são bolsos fritos de massa cheia de carne, queijo ou palmito e vendidos em feiras de rua por cerca de 3 reais. Não importa onde você esteja, procure a palavra “rodízio”, ou “tudo o que puder comer”. Há todos os tipos de rodizios, incluindo pizza, comida japonesa ou carnes grelhadas, o último geralmente acompanhado de saladas e acompanhamentos. Pode custar US $ 20, mas será a única refeição que você precisará nesse dia.

ALUGAR OU NÃO ALUGAR

Alugar um carro nas grandes cidades é sinônimo de despesa e estresse. Estacionamento é complicado, e você pode pagar 12 reais por uma hora em alguns lugares. E os caras chamados flanelinhas vão tentar te cobrar quase tanto por “cuidar” de seu carro mesmo se você encontrar estacionamento gratuito na rua. Em vez disso, encontre alternativas: as linhas de metrô do Rio e São Paulo são pequenas, mas limpas e práticas para chegar às atrações turísticas; No nordeste os táxis são relativamente baratos. Mas fora das grandes cidades, dizer ao longo da costa ou em parques nacionais, estar sem um carro significa fazer-se dependente de grupos de turismo, tornando o aluguer de automóveis a opção mais custo-consciente.

Bater três ilhas

Para sair da trilha turística típica, experimente estas três ilhas com preços razoáveis: Ilha Grande (razoavelmente perto do Rio de Janeiro, com belas praias e acomodações baratas); Ilha de Boipeba (paraíso na Terra, um vôo de 30 minutos de Salvador, barato como pode ser, e muitas pousadas de propriedade estrangeira, onde o Inglês é falado); E Ilha de Marajó (uma ilha amazônica no estado do Pará, onde o búfalo de água e as aves tropicais são mais numerosos).

-benzóico.
Kevin Raub é o autor de coordenação para o Brasil da América do Sul Lonely Planet “em um Shoestring.” Siga-o no Twitter @RaubOnTheRoad. Aqui estão suas dicas:

HOSTELES OU BUSTO

Se você estiver em um orçamento muito apertado, é apenas albergues, e mesmo assim você vai pagar mais do que você está acostumado na América do Norte ou na Europa. Eu encontrei alguns pontos de bom valor como Favela Chic em Foz de Iguaçu (Cataratas do Iguaçu), onde você pode dormir em uma van convertida com uma cama de casal para 50 reais como um viajante único. É único, bem como acessível. No Rio, o meu favorito é um novo lugar chamado Oztel em Botafogo, onde parece que você está dormindo em uma galeria de arte curada por um fã de Andy Warhol. Além do dormindo em um dormitório parte, você está recebendo um hotel boutique para o preço de um albergue.

CONSIDERE O CAPITAL

Apesar de Brasília ter uma reputação de ser tão amigável para os viajantes conscientes do orçamento como uma piñata de ninho de vespas, capital fascinante do Brasil pode realmente ser feito acessível. As acomodações são caras, mas hotéis slash preços nos finais de semana. A partir daí, é preciso um pouco de vontade, mas há uma maneira: os ônibus penteiam a cidade, então você pode chegar a qualquer lugar por dois reais, lançando o roteiro em uma cidade que foi projetada para carros. Quase todas as principais atrações (incluindo muitos monumentos projetados pelo arquiteto modernista Oscar Niemeyer) são gratuitos, e restaurantes servem todos os orçamentos.

ANIMAIS SELVAGENS FORA DA AMAZÔNIA

O Pantanal é um dos melhores lugares do Brasil para visitar. Não só é incrível em seu próprio direito, mas é muito mais acessível do que o Amazonia e você vai ver muito mais vida selvagem para o seu dinheiro. Depois de uma viagem de um dia pela rodovia Transpantaneira, você vai ficar doente de caimans, capivaras, araras e tucanos. No Amazon você pagará cinco vezes o preço e você é afortunado se um golfinho cor-de-rosa nada perto uma vez por semana.

MEIA ORDEM

Você provavelmente vai querer ignorar os buffets tradicionais feijoada, que são terrivelmente bom, mas sempre caro, e ir em vez disso para o “por kilo” ou pay-by-weight restaurantes. Também procure pratos feitos, pratos caseiros de prato principal, arroz, feijão e suco por menos de 12 reais, ou os pratos executivos ou pratos executivos, um pouco mais caros e extravagantes. Aproveite o fato normalmente irritante que os pratos de restaurante são preços e porção generosamente para dois. Os viajantes individuais que pedem meia porção pagarão 60 ou 70 por cento do preço, mas um grupo de três pode derrotar restaurantes brasileiros em seu próprio jogo de matemática ilógico, encomendando um prato e indo embora com estômagos cheios e carteiras ainda recheadas .

EVITAR O TAXIS DO AEROPORTO

A maioria das grandes cidades (incluindo Rio, São Paulo e Brasília) oferece transporte de ônibus direto e eficiente por menos de 40 reais, o que pode oferecer economia considerável. Eu ando em quase todos os lugares do Brasil – é grátis e você tem uma sensação muito melhor para a alegria brasileira de viver. Rio, São Paulo e Porto Alegre têm sistemas de metrô eficientes que o levam a uma distância impressionante do seu destino; Apenas perna a partir daí, e não se esqueça de ônibus da cidade. Em São Paulo, você pode obter direções de ônibus ponto a ponto precisas do Google Maps, evitando táxis caros.[:en]To supplement my seven rules for lowering the cost of a trip to Brazil, I asked three Brazil-based colleagues to come up with their own tips. They are Ricardo Freire, widely regarded as the dean of Brazilian travel bloggers; Fábio Peixoto, the editor of a Brazilian travel guide; and Kevin Raub, a Lonely Planet author who lives in São Paulo.

I’ve condensed and edited their tips, and in the first two cases, translated them from Portuguese.
Mr. Freire blogs in Portuguese at viajenaviagem.com and is working on an English-language site for foreign visitors to Brazil. Follow his travels on Instagram (@riqfreire). Here are his tips:

TRAVEL WHEN BRAZILIANS DON’T

International travel to Brazil is relatively minimal; the country as a whole receives about as many visitors per year as Cancún. That means the tourism industry is dependent on the enormous domestic market, which has a particular quirk: Brazilians all seem to travel at the same time. That’s during January and June school vacations, Carnival (Feb. 9 to 12 next year), and on national holidays that become long weekends no matter on what day they fall.

For the rest of the year, a majority of Brazilian destinations (with the notable exception of Rio) are nearly empty — even though in many cases the climate is actually better during the off-season. So plan wisely.

WAIT FOR THE MAGIC DATE

Jan. 10 is the magic date that the Brazilian summer stops being so expensive. Families have emptied their bank accounts to be on the beach during New Year’s and must begin to save for Carnival. Prices drop appreciably, and innkeepers and small-hotel owners are open to negotiations.

The best place to be is in Bahia state, in beautiful coastal villages like Morro de São Paulo, Barra Grande, Itacaré, Santo André and others that aren’t as expensive as upscale spots like Trancoso. You can combine that trip with a great excursion to Chapada Diamantina National Park (seven hours by bus from Salvador, the state capital).

FALL IN RIO

Southern Hemisphere fall, that is. In winter (July and August), Rio de Janeiro can actually get cold, so the ideal time to visit is in autumn, after Easter. May, with hot, dry days and cool nights, is the perfect time, with only one Brazilian holiday (May 1) drawing visitors. It’s also the perfect time for a side trip to the colonial town of Paraty, where things get rainy in spring and summer.

TAKE THE BUS

Upper-middle-class Brazilians won’t tell you this, because they can’t imagine themselves on an intercity bus. But the fact is that the Brazilian bus system works well, especially if you are traveling less than 200 miles. Alas, there is little information about bus trips online (and practically none in English) so your best bet is to go to the bus station where each company’s ticket booth has clear signs listing destinations it serves. A key word in Portuguese is “direto” (gee-REH-tew), which refers to a route with fewer stops. Keep your valuables close at hand (and gadgets in your pockets) in the stations.

USE THE PANAMA CONNECTION

The most convenient airline from the United States to Brazil is probably Panama’s Copa, which has a code-share agreement with United, meaning a customer can buy a ticket with one airline but end up flying on a plane operated by the other. You can reach seven Brazilian destinations via a usually brief connection in Panama City, allowing you to, for example, arrive in Manaus in the Amazon and return from Recife in the northeast.

INTERNATIONAL SITES ARE GAINING HOLD

Booking.com has expanded rapidly in Brazil, registering pousadas (inns) and small hotels in remote places, saving foreigners from the complicated system of reservations Brazilians have invented (involving wiring deposits to innkeepers’ bank accounts). Hostelworld works well for hostels, and Airbnb is also making inroads for apartment rentals.

***
Fábio Peixoto is the editor of the Brazilian guidebook series “Guia Quatro Rodas” which publishes the Viajar Bem e Barato (“Travel Well, Travel Cheap”) guide. Here are his tips:

GO AGAINST THE FLOW

With Brazil’s strong economy, a new middle class has emerged with access to many modern comforts, including travel. That means that in season, destinations are more packed than ever. Hotel prices can triple over New Year’s and Carnival, and it doesn’t help much to book in advance. Weekends and holidays during summer (December to March) are usually hellish in terms of prices, availability and traffic. A good strategy if you’re here then is to go against the flow: spend the weekends in the big cities and weekdays on the beach. In the northeast, rains can be heavy from April to July, so September and October are great times to visit.

SNACK TRADITIONALLY

A good tip to eat for less is to focus on traditional quitutes or small, traditional dishes. In Salvador, there are dozens of street stands where baianas (women in traditional white dress) sell acarajé — a black-eyed pea fritter stuffed with shrimp, a sauce called vatapá and vegetables — for about 6 reais ($3 at 2 reais to the dollar).

In Amazonian cities you can get tacacá, a soup of shrimp and jambu, a slightly anesthetic herb, for 10 reais. In São Paulo, pastéis de feira are fried pockets of dough filled with meat, cheese or heart of palm and sold at street fairs for about 3 reais. No matter where you are, look out for the word “rodízio,” or “all you can eat.” There are all kinds of rodizios, including pizza, Japanese food or grilled meats, the latter usually accompanied by salads and side dishes. It might cost you $20, but it will be the only meal you’ll need that day.

TO RENT OR NOT TO RENT

Renting a car in the big cities is synonymous with expense and stress. Parking is complicated, and you can pay 12 reais for one hour in some places. And guys called flanelinhas will try to charge you almost as much for “taking care” of your car even if you find free street parking. Instead, find alternatives: Rio’s and São Paulo’s subway lines are small but clean and practical for getting to tourist attractions; in the northeast taxis are relatively cheap. But outside major cities, say along the coast or in national parks, being without a car means making yourself dependent on tour groups, making car rental the more cost-conscious option.

HIT THREE ISLANDS

To step outside the typical tourist trail, try these three reasonably-priced islands: Ilha Grande (reasonably close to Rio de Janeiro, with beautiful beaches and cheap lodging); Ilha de Boipeba (paradise on Earth, a 30-minute flight from Salvador, cheap as can be, and many foreign-owned inns where English is spoken); and Ilha de Marajó (an Amazonian island in Pará state, where water buffalo and tropical birds outnumber people).

***
Kevin Raub is the coordinating author for Brazil of Lonely Planet’s “South America on a Shoestring.” Follow him on Twitter @RaubOnTheRoad. Here are his tips:

HOSTELS OR BUST

If you’re on a really tight budget, it is hostels only, and even then you are going to pay more than you are accustomed to in North America or Europe. I’ve found some good value spots like Favela Chic in Foz de Iguaçu (Iguazu Falls), where you can sleep in a converted van with a double bed for 50 reais as a single traveler. It’s unique as well as affordable. In Rio, my favorite is a new place called Oztel in Botafogo, where it feels like you are sleeping in an art gallery curated by an Andy Warhol fan. Aside from the sleeping in a dorm part, you’re getting a boutique hotel for the price of a hostel.

CONSIDER THE CAPITAL

Though Brasília has a reputation of being about as friendly to budget-conscious travelers as a wasp-nest piñata, Brazil’s fascinating capital can actually be done affordably. Accommodations are expensive, but hotels slash prices on weekends. From there, it takes a little will but there is a way: buses comb the city, so you can get anywhere for two reais, flipping the script on a city that was designed for cars. Almost all the main attractions (including many monuments designed by modernist architect Oscar Niemeyer) are free, and restaurants serve all budgets.

WILDLIFE OUTSIDE THE AMAZON

The Pantanal is one of Brazil’s best-value spots to visit. Not only is it amazing in its own right, but it’s much more affordable than the Amazon and you will see much more wildlife for your money. After a one-day drive down the Transpantaneira highway, you’ll be sick of caimans, capybaras, macaws and toucans. In the Amazon you’ll pay five times the price and you’re lucky if a pink dolphin swims by once a week.

ORDER HALF

You’ll probably want to skip the traditional feijoada buffets, which are terribly good but always pricey, and go instead for the “por kilo” or pay-by-weight restaurants. Also look for PFs, or pratos feitos, homey set plates of a main course, rice, beans and juice for under 12 reais, or the slightly pricier and fancier pratos executivos or executive plates. Take advantage of the normally infuriating fact that restaurant dishes are priced and portioned generously for two. Single travelers ordering a half-portion (meia-porção) will pay 60 or 70 percent the price, but a party of three can beat Brazilian restaurants at their own illogical math game, ordering one dish and walking away with stomachs filled and wallets still stuffed.

AVOID AIRPORT TAXIS

Most big cities (including Rio, São Paulo and Brasília) offer direct and efficient airport shuttles for under 40 reais, which can offer considerable savings. I walk almost everywhere in Brazil — it’s free and you get a much better feel for Brazilian joie de vivre. Rio, São Paulo and Porto Alegre all have efficient metro systems that get you within striking distance of your destination; just leg it from there, and don’t forget about city buses. In São Paulo you can get accurate point-to-point bus directions from Google Maps, avoiding pricey taxis.[:es]Para complementar mis siete reglas para bajar el costo de un viaje a Brasil, pedí a tres colegas con sede en Brasil que presentaran sus propias sugerencias. Ellos son Ricardo Freire, ampliamente considerado como el decano de bloggers de viajes brasileños; Fábio Peixoto, editor de una guía de viajes brasileña; Y Kevin Raub, autor de Lonely Planet que vive en São Paulo.

He condensado y editado sus consejos, y en los dos primeros casos, los tradujo de portugués.
Sr. Freire blogs en portugués en viajenaviagem.com y está trabajando en un sitio en inglés para los visitantes extranjeros a Brasil. Sigue sus viajes en Instagram (@riqfreire). Aquí están sus consejos:

VIAJE CUANDO LOS BRASILES NO HACEN

Los viajes internacionales a Brasil son relativamente mínimos; El país como un todo recibe alrededor de tantos visitantes por año como Cancún. Eso significa que la industria del turismo depende del enorme mercado interno, que tiene una singular peculiaridad: los brasileños parecen viajar al mismo tiempo. Eso es durante las vacaciones escolares de enero y junio, Carnaval (del 9 al 12 de febrero del año que viene), y en las fiestas nacionales que se convierten en fines de semana largos, no importa en qué día caen.

Para el resto del año, la mayoría de los destinos brasileños (con la notable excepción de Río) están casi vacíos, aunque en muchos casos el clima es mejor durante la temporada baja. Así que plan sabiamente.

ESPERE POR LA FECHA DE LA MAGIA

El 10 de enero es la fecha mágica que el verano brasileño deja de ser tan caro. Las familias han vaciado sus cuentas bancarias para estar en la playa durante el Año Nuevo y deben comenzar a ahorrar para el Carnaval. Los precios bajan apreciablemente, y los posaderos y propietarios de pequeños hoteles están abiertos a negociaciones.

El mejor lugar para estar es en el estado de Bahía, en hermosos pueblos costeros como Morro de São Paulo, Barra Grande, Itacaré, Santo André y otros que no son tan caros como lugares de lujo como Trancoso. Usted puede combinar ese viaje con una gran excursión al Parque Nacional Chapada Diamantina (siete horas en bus desde Salvador, la capital del estado).

Caer en rio

Caída del Hemisferio Sur, es decir. En invierno (julio y agosto), Río de Janeiro puede conseguir frío, así que el momento ideal para visitar es en otoño, después de Pascua. Mayo, con días calurosos y secos y noches frías, es el momento perfecto, con sólo una fiesta brasileña (1 de mayo) atrayendo visitantes. También es el momento perfecto para un viaje de un lado a la ciudad colonial de Paraty, donde las cosas se llueven en primavera y verano.

TOMAR EL AUTOBÚS

Los brasileños de clase media alta no le dirán esto, porque no pueden imaginarse en un autobús interurbano. Pero el hecho es que el sistema brasileño de autobuses funciona bien, especialmente si viajas a menos de 200 millas. Por desgracia, hay poca información sobre los viajes en autobús en línea (y prácticamente ninguno en inglés) por lo que su mejor opción es ir a la estación de autobuses donde la taquilla de cada compañía tiene claros anuncios de los anuncios de los signos que sirve. Una palabra clave en portugués es “direto” (gee-REH-tew), que se refiere a una ruta con menos paradas. Mantenga sus objetos de valor a mano (y gadgets en sus bolsillos) en las estaciones.

UTILICE LA CONEXIÓN PANAMÁ

La aerolínea más conveniente de Estados Unidos a Brasil es probablemente la Copa de Panamá, que tiene un acuerdo de código compartido con United, lo que significa que un cliente puede comprar un billete con una aerolínea pero acaba volando en un avión operado por el otro. Usted puede llegar a siete destinos brasileños a través de una conexión normalmente breve en la Ciudad de Panamá, lo que le permite, por ejemplo, llegar a Manaos en el Amazonas y regresar de Recife en el noreste.

LOS SITIOS INTERNACIONALES ESTÁN ESPERANDO

Booking.com se ha expandido rápidamente en Brasil, registrando posadas y pequeños hoteles en lugares remotos, ahorrando a los extranjeros del complicado sistema de reservas que los brasileños han inventado (incluyendo depósitos de cableado en las cuentas bancarias de los posaderos). Hostelworld funciona bien para los albergues, y Airbnb también está haciendo incursiones para alquiler de apartamentos.

Unesdoc.unesco.org unesdoc.unesco.org
Fábio Peixoto es el editor de la guía brasileña Guia Quatro Rodas que publica la guía Viajar Bem e Barato. Aquí están sus consejos:

Ir contra el flujo

Con la fuerte economía de Brasil, una nueva clase media ha surgido con acceso a muchas comodidades modernas, incluyendo los viajes. Eso significa que en temporada, los destinos están más llenos que nunca. Los precios del hotel pueden triplicarse durante el Año Nuevo y Carnaval, y no ayuda mucho para reservar con antelación. Los fines de semana y las vacaciones durante el verano (diciembre a marzo) suelen ser infernales en términos de precios, disponibilidad y tráfico. Una buena estrategia si estás aquí es ir contra el flujo: pasar los fines de semana en las grandes ciudades y los días de semana en la playa. En el noreste, las lluvias pueden ser fuertes de abril a julio, por lo que septiembre y octubre son grandes momentos para visitar.

SNACK TRADICIONALMENTE

Un buen consejo para comer por menos es centrarse en quitutes tradicionales o platos pequeños y tradicionales. En Salvador hay docenas de calles en las que las baianas venden acarajé – un buñuelo de guisantes de ojos negros relleno de camarones, una salsa llamada vatapá y verduras – por unos 6 reales ($ 3 a 2 reales por dólar ).

En las ciudades amazónicas se puede obtener tacacá, una sopa de camarón y jambu, una hierba ligeramente anestésica, por 10 reales. En São Paulo, los pastéis de feira son bolsillos fritos de masa rellena de carne, queso o palmito y se venden en ferias callejeras por unos 3 reales. No importa dónde se encuentre, busque la palabra “rodízio”, o “todo lo que pueda comer”. Hay todo tipo de rodizios, incluyendo pizza, comida japonesa o carnes a la parrilla, este último generalmente acompañado de ensaladas y acompañamientos. Puede costarle $ 20, pero será la única comida que necesitará ese día.

ALQUILER O NO ALQUILAR

Alquilar un coche en las grandes ciudades es sinónimo de gasto y estrés. El aparcamiento es complicado, y usted puede pagar 12 reales por una hora en algunos lugares. Y los chicos llamados flanelinhas tratarán de cobrarle casi tanto por “cuidar” de su auto, incluso si encuentra aparcamiento gratuito en la calle. En su lugar, encontrar alternativas: las líneas de metro de Río y São Paulo son pequeñas pero limpias y prácticas para llegar a las atracciones turísticas; En los taxis del noreste son relativamente baratos. Sin embargo, fuera de las principales ciudades, por ejemplo, a lo largo de la costa o en parques nacionales, estar sin coche significa hacerse dependiente de los grupos turísticos, haciendo que el alquiler de coches sea la opción más económica.

HIT TRES ISLAS

Para salir de la ruta turística típica, probar estas tres islas a precios razonables: Ilha Grande (razonablemente cerca de Río de Janeiro, con hermosas playas y alojamiento barato); Ilha de Boipeba (paraíso en la Tierra, a 30 minutos de vuelo de Salvador, barato como puede ser, y muchas posadas de propiedad extranjera donde se habla Inglés); E Ilha de Marajó (una isla amazónica en el estado de Pará, donde el agua de búfalo y las aves tropicales superan en número a las personas).

Unesdoc.unesco.org unesdoc.unesco.org
Kevin Raub es el autor coordinador para Brasil de Lonely Planet “América del Sur en un Shoestring.” Seguirlo en Twitter @RaubOnTheRoad. Aquí están sus consejos:

HOSTALES O BUSTO

Si usted está en un presupuesto realmente apretado, es albergues solamente, e incluso entonces usted va a pagar más que usted está acostumbrado en Norteamérica o Europa. He encontrado algunos puntos de buena relación calidad-precio como Favela Chic en Foz de Iguazú (Cataratas del Iguazú), donde se puede dormir en una furgoneta convertida con una cama doble por 50 reales como un viajero individual. Es único, así como asequible. En Río, mi favorito es un nuevo lugar llamado Oztel en Botafogo, donde se siente como si estuviera durmiendo en una galería de arte comisariada por un fan de Andy Warhol. Aparte de dormir en una parte del dormitorio, usted está consiguiendo un hotel del boutique para el precio de un hostal.

CONSIDERE LA CAPITAL

Aunque Brasilia tiene una reputación de ser tan amigable para los viajeros conscientes del presupuesto como una piñata de nido de avispa, la capital fascinante de Brasil puede ser hecho de manera asequible. Los alojamientos son caros, pero los hoteles slash precios los fines de semana. A partir de ahí, se necesita un poco de voluntad, pero hay una manera: buses peinar la ciudad, por lo que puede llegar a cualquier lugar por dos reales, volteando el guión en una ciudad que fue diseñado para los coches. Casi todas las atracciones principales (incluyendo muchos monumentos diseñados por el arquitecto modernista Oscar Niemeyer) son gratis, y los restaurantes sirven todos los presupuestos.

FAUNA FUERA DE LA AMAZONIA

El Pantanal es uno de los mejores lugares de Brasil para visitar. No sólo es increíble en su propio derecho, pero es mucho más asequible que el Amazonas y verá mucho más vida silvestre por su dinero. Después de una unidad de un día por la carretera Transpantaneira, usted estará enfermo de caimanes, capibaras, guacamayos y tucanes. En el Amazonas pagarás cinco veces el precio y tendrás suerte si un delfín rosado nada una vez a la semana.

ORDEN MEDIA

Probablemente querrá saltarse los tradicionales bufés de feijoada, que son terriblemente buenos pero siempre caros, e ir en lugar de los restaurantes “por kilo” o de pago por peso. También busque PFs, pratos hechos, platos caseros de un plato principal, arroz, frijoles y jugo por menos de 12 reales, o los pratos ejecutivos o platos ejecutivos ligeramente más caros y más lujosos. Aprovechar el hecho normalmente irritante de que los platos del restaurante son de precio y repartido generosamente para dos. Los viajeros individuales que pagan una media porción (meia-porção) pagarán 60 o 70 por ciento del precio, pero un grupo de tres puede vencer restaurantes brasileños en su propio juego de matemáticas ilógico, ordenar un plato y alejarse con el estómago lleno y las carteras todavía rellenas .

EVITE EL TAXIS DEL AEROPUERTO

La mayoría de las grandes ciudades (incluyendo Río, São Paulo y Brasilia) ofrecen vuelos directos y eficientes por menos de 40 reales, lo que puede ofrecer ahorros considerables. Camino casi por todas partes en Brasil – es gratis y obtienes una sensación mucho mejor por la alegría brasileña de vivir. Río, São Paulo y Porto Alegre tienen sistemas de metro eficientes que lo llevan a una distancia notable de su destino; Sólo la pierna de allí, y no se olvide de los autobuses de la ciudad. En São Paulo puede obtener indicaciones precisas de los autobuses punto a punto de Google Maps, evitando los taxis caros.[:]

Deixe um comentario